quarta-feira, 18 de maio de 2011

Cama compartilhada...

Então resolvi fazer este post, por ter surgido a dúvida se realmente beneficia a criança, se atrapalha a intimidade do casal, riscos, etc. Vou falar aqui da minha experiência e, vou dizer porque acho fundamental, usar a cama compartilhada!
Quando meu menino nasceu, o berço ficou no nosso quarto (até porque só tínhamos um mesmo), e ficava do lado da cama. Até o 3-4° mês de vida, ele dormia sozinho, com os rolinhos e os protetores de berço, por 8 horas seguidas!! Eu, claro que acordava, pois achava que estava morto, imagina um bebê tão pequeno dormir tanto, pensava eu...coisa de mãe de 1ª viagem, hehehe. No 4° mês, ele começou a acordar para mamar, e era a cada 30 minutos, 15 minutos até. Eu estava exausta!! Sem saber da cama compartilhada, coloquei meu filho a dormir na cama, com meu marido e eu. Que maravilha!! Bê quando queria mamar, se mexia um pouco e eu, já sabia. Desta forma ele dormia mais, pois estava comigo, e consequentemente, eu também! Ah, mas e a intimidade de vocês? Gente, existe a sala, o banheiro, a mesa da cozinha... quer melhor coisa que essa... muitos reclamam de variedade, não é?!
Voltando... quando Bê estava com quase dois anos, senti que era hora de colocá-lo na própria cama ( já tínhamos mais um quarto), Bê mostrava interesse também. Começamos a colocá-lo no berço, mas logo em seguida na caminha intermediária, era mais seguro! Ficamos nessa, coloca na cama, conta história, por 4 meses, até que ele começou a gostar. Quem disse que ter filhos é mole!Em seguida engravidei da Sosô, e pensei em ver se ela ficaria no berço depois que nasceu, e que nem o mano...NADA! Depois de 1 mês me desgastando (eram dois bebês agora), e maltratando minha nenêm, coloquei ela comigo. Que maravilha!! Eu dormia mais e ela também. Ela esta com 1 ano e 4 meses, daqui a pouco ira para caminha dela também! Na minha opinião, bebês devem ser amamentados, carregados em slings e se possível, devem dormir com os pais até os 2 anos, onde é visível (que tem filhos sabe) um amadurecimento da criança, eles mudam nesta faixa de idade. Mas é a minha opinião, embasada na minha experiência, com os informações valiosas de especialistas e valorizo bastante o que vivi e vivo, pois sigo os meus instintos e, me coloco no lugar da criança!
 Ai vocês vão me dizer: "A mas o teu menino deve ser um grude, não faz nada sozinho!". Meu filho começou a ir no penico, com quase dois anos e com 2 anos e 4 meses, não usava fralda de dia, antes dos 3 não usava a da noite, porque respeitamos o tempo dele nesta situação e, o interesse, a curiosidade dele em sair das fraldas! Já sabe tomar banho, sem ajuda. E também sabe se limpar depois do cocô! Já foi dormir na casa do amiguinho! E ele tem 4 anos! E por que? Porque respeitamos a curiosidade dele, a necessidade dele! E a a nossa intimidade? Meu marido e eu concordamos que o sofá é ótimo, o chão, o box com uma ducha morninha, a parede....a gente, por favor! INVENTEM!
Vou deixar um artigo, disponibilizado e traduzido, pela Dra.Andréia Mortensen: 


O jogo hormonal entre mãe e filho na cama compartilhada

Quando dormem juntos, a mãe, ainda sonolenta, precisa auxiliar o bebê a adormecer no meio da noite após uma mamada. Mas os hormonios tranquilizantes liberados na mãe e bebê na amamentação ajudam a mãe a voltar a dormir (quem não se lembra de sentir relaxada e sonolenta após uma sessão de amamentação né?)
Ou seja, quando se dorme com o bebê geralmente não existem acordadas totais com muito choro, não existe aumento na adrenalina, tentativas de ficar acordado enquanto o bebê mama, tentativas de colocar o bebê que tava quentinho nos braços da mamães de volta no berço gelado (promovendo mais adrenalina nessa transferência de local e mais choro) e então tentar adormecer novamente, já temendo a proxima chamada para proxima mamada.

Hormonios do stress são presentes em niveis mais baixos em mães e bebês que dormem juntos, especificamente o balanço do hormonio CORTISOL, cujo controle é essencial para crescimento saudavel do bebê.

Em estudos com animais, bebês que permaneceram juntos às suas mães tinha maiores níveis de hormonios do crescimento e enzimas necessaries para crescimento do coração e cérebro (Butler, S.R., et al., "Maternal behavior as a regulator of polyamine biosynthesis in brain and heart of developing rat pups", Science, 1978, p 445-447; Kuhn, C.M., et al., "Selective depression of serum growth hormone during maternal deprivation in rat pups", Science, 1978, p. 1035-1036).
Vários estudos mostram que a fisiologia de bebês que dormem com suas mães é mais estável, incluindo temperatura, regulação de ritmos cardíacos e menos pauses em respiração que bebês que dormem sozinhos (Field, T., Touch in early development, N.J.: Lawrence Earlbaum and Assoc., 1995; Reite, M. and J.P. Capitanio, "On the nature of social separation and social attachment", The psychobiology of attachment and separation, New York: Academic Press, 1985, p. 228-238).

Dois dos maiores responsaveis desse coquetel hormonal são Ocitocina , o hormonio das ligações de afeto- tb conhecido como “hormonio do amor”, e prolactina um hormonio critico para iniciação da lactação que é chamado frequentemente de “hormonio da maternidade”. Ocitocina está envolvida em seja qual face do amor considerarmos- é liberada durante o sexo e tb foi relacionada evocar comportamento maternal se injetado em cérebros de ratas virgens.

Ocitocina sozinha é parte de um balanço hormonal complexo. Um aumento repentino de ocitocina dá motivação ao amor que pode ser direcionado em caminhos diferentes, e por isso existem diferentes tipos de amor (por exemplo, com alto nível de prolactina esse desejo é direcionado aos bebês).

Quando mulheres amamentam, por exemplo, elas recebem altas doces de ocitocina – que estimula reflexo de ejeção do leite e prolactina, que tem um efeito calmante na mãe quando amamenta. Endorfinas, os hormonios do prazer e superioridade tb são liberados durante amamentação e encorajam a mãe a repetir a experiencia de amamentar. Então endorfinas são transferidas do leite materno para o bebê, dando-lhe um senso de contentamento enquanto amamenta. Considerando que níves de prolactina são os maiores durante a noite, faz sentido considerar a proximidade com seu bebê à noite um fator importante na elevação e sentimentos de amor que a mãe sente por seu bebê. Talvez, sem a pressão de ensinar os bebês a dormirem a noite toda o quanto antes, mães poderiam apreciar as mamadas noturnas como uma oportunidade extra de ligação com seus bebês.
Observação: Como citado, a prolactina (hormônio responsável pela produção do leite) é mais produzida durante as mamadas noturnas.
Portanto, é mais do que importante manter e incentivar essa rotina de amamentar nas madrugadas para elevar a produção desse hormônio.
Bebês que são levados a dormir a noite toda desde cedo correm o risco de serem desmamados antes do tempo.
Para mães que curtem dividirem as camas com seus bebês, as pesquisas afirmam- toque e proximidade são elementos essenciais no apego entre vocês, o status hormonal que aumenta o apego é mais efetivo durante as mamadas noturnas, amamentação é mais sucessiva e continuada quando mães e bebês dormem juntos (McKenna JJ, Why babies should never sleep alone: a review of the co-sleeping controversy in relation to SIDS, bedsharing and breast feeding, Paediatr Respir Rev. 2005 Jun;6(2):134-52; McKenna JJ, Mosko SS, Richard CA. Bedsharing promotes breastfeeding. Pediatrics. 1997 Aug;100(2 Pt 1):214-9; Mosko S, Richard C, McKenna J, Drummond S, Mukai D.; Mosko S, Richard C, McKenna J. Maternal sleep and arousals during bedsharing with infants. Sleep. 1997 Feb;20(2):142-50.)

Se, mesmo com todas evidencias, ainda encontra criticismo à sua escolha (por exemplo, ouve comentarios como “ele nunca sairá de tua cama!”), acredite, seus filhos sairão de tua cama!!!
Mas lembre-se que quando entrarem na faculdade, podem muito bem estar dormindo com outra pessoa! 

Fonte: http://camacompartilhada.multiply.com/journal/item/14

11 comentários:

  1. Adorei saber mais sobre esse assunto.
    Antes de engravidar eu sempre pensava que não era bom o bebe dormir com os pais pelos motivos de sempre (nunca mais vai sair da cama dos pais ou tem que ter independencia e até mesmo por medo de machucar o bebe e não perceber pelo cançaço) mas depois que ele nasceu e eu tinha que levantar para amamentar percebi que colocar ele na minha cama era o melhor pra nós TRES. E lendo este artigo vi que tudo o que diz aí acontece comigo e o bebe, durmo muito melhor sem precisar levantar no inveno(sei que está quentinho), ele se acalma logo com a teta quando acorda, as vezes pegamos no sono que nem sei se ele mamou muito ou pouco, além de tudo é muito bom ter ele bem pertinho e ele retribui com carinho .... é muito bom !!
    E Ana é verdade eles crescem tão rápido, temos que aproveitar pois serão bebes apenas por pouco tempo !!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Não indique as pessoas isso, pois, parece muito bom mas, o risco de sufocar o bebe é real, vc acordava, outra pessoas pode não acordar, ou teve sorte, pois, não somos máquinas.
    Alem disso tem a dependencia que a criança cria, que muitas vezes só se sente amada estando no meio das relações que terá pela vida. Ficar no quarto tudo bem, se for temporário e transitório, afinal, animal algum tem sua cria e deixa "no quartinho ao lado", mas, é preciso discernimento e é muito importante a criança saber que tem seu espaço, preparado pra ela.

    ResponderExcluir
  4. Não faça o mais comodo para vc, nesta hora o bebe vai precisar de dedicação intensa, se sacrificar pela vida a fora não é bom, mas, só no começo é necessario.
    Se sufocar seu bebe jamais vai se perdoar.Coloque num moises bem pertinho da cama. Improvisa,tente passar segurança a ele. Criança segura, com pais confiantes, não vão precisar dormir na cama dos pais. Eles provavelmente tinham medo.

    ResponderExcluir
  5. Anônimos do dia 25/ 08, não sei se são a mesma pessoa?? Não é comodo para mim, é comodo para meu filhos, eles cresceram e se desenvolveram muito bem com a cama compartilhada. Claro, que esta técnica não é para qualquer família, pessoas obesas, que dormem muito fácil, e não acordam fácil, NÃO PODEM fazer uso desta técnica. Defendo ela, porque existe muitas mães e pais se desgastando, e pior desgastando seus bebes, tão pequenos, por não saberem dela. Tem outa postagem que explica direitinho a técnica. Outra coisa comodidade para mim e largar a criança no carrinho, no berço para ela aprender não sei o que! Comodo e dar mamadeira com fórmula especial (é leite de vaca igual!), para a criança não acordar tão seguido, ou para os peitos não "caírem". Comodo e enfiar uma chupeta, nojenta, na boca da criança para ela Calar a Boca!Comodo é não escutar o choro do seu filho e entende-lo! Comodo é dar danoninho, papinha Nestle, biscoito, salgadinho, que tá pronto na hora do que descascar uma fruta, ou preparar a refeição na hora!!Comodo é mandar a babá cuidar para a mãe ir ao salão, ou tomar chá com as amigas...entendeu?? Coisa que eu não sou é comodista, já o anonimo, ou anônimos, eu não sei....Leiam e se informem mais!

    Luz e sabedoria!

    ResponderExcluir
  6. Eu de novo amiga!!! rs Eu deixava meu bebê RN durmir no berço que ficava do lado da cama, mas ele acordava muito e tinha vez que até estava sem força e com muito sono para pegá-lo do berço. Meu marido deu a idéia: "põe ele na cama para durmir conosco!" Foi a salvação da lavoura rsrs, eu passei a durmir bem melhor, e atender as necessidades de mamar rs do meu pequeno, super apoio cama compartilhada, o meu filho é super tranquilo por causa disso tbm! Outra coisa que tbm é experiência própria: eu durmi com meus pais até quase 3 anos na cama compartilhada tbm! =) E como sou grata a eles. Daí as pessoas falam neh: mas depois dá um tabalhão pra por na caminha deles!! ahahahah Eu tomei a decisão que queria uma cama MINHA, quando meu pai comprou e montou, nossa, lembro até hj da minha alegria em ter a minha cama e durmir nela. EU APOIO A IDÉIA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nádia! Que bom te ver por aqui!! Obrigada por compartilhar tua experiencia!! Fique a vontade! Bjoks

      Excluir
  7. Cara Ana!
    Adorei teu post, tenho um filho de oito meses e ele dorme comigo e com meu marido nos fins de semana (ele trabalha fora). Nós dois estamos acima do peso, obesos, por assim dizer, mas mesmo assim ainda é comfortável dormir com o bebê junto. Essa história de sufocar a criança é relativa, eu por exemplo, antes de engravidar dormia que nem 'pedra' e hje com ele não é mais assim, é um suspiro mais forte e a gente acorda, não é? Mas enfim, me identifiquei muito com o que tu escreveste, e olha que meu filho não mama no peito. Beijos e parabéns pelo blog, adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Anonima! Pois então, acho super bacana compartilhar esta experiência. Se vocês conseguirão se adequar, tomaram as devidas precauções e o mais importante, acordam com qualquer suspiro, ótimo. Vocês é que sabem o que é melhor e como se adequar flor! Parabéns! Se precisar é só chamar. Bjs e parabéns pelo filhote!

      Excluir
  8. nesta foto , o bebe parece que desceu abaixo do lençol e estar sufocado.por este e outros motivos . cuidado muito cuidado com o seu maior bem o seu bebe.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MundoBrasileiro