quarta-feira, 24 de agosto de 2011

38 semanas...e nada de trabalho de parto... (Por Priscila Rezende)


Toda mulher que esperou para entrar em trabalho de parto naturalmente, respeitando o tempo do bebê e do próprio corpo, costuma dizer que uma gestação dura nove meses e uma eternidade. De vido à falta de informação, quando a gestante é considerada "a termo"m por volta da 36ª semana, começa a ouvir frases como "à partir de agora seu bebê está pronto para nascer", e então o casal passa a aguardar ansiosamente a chegada do bebê, dia após dia, observando todos os sinais. Algumas mulheres já iniciam a o período de licença maternidade, lavam e passam as roupinhas do bebê, fazem, com todo o carinho, a malinha da maternidade.
Porém, é bastante comum que a mulher entre em trabalho de parto apenas por volta da 40ª semana de gravidez sem que isso acarrete nenhuma complicação na saúde da gestante ou do bebê. A idade gestacional é apenas uma estimativa e não podemos ter certeza da data da concepção para dizermos que um bebê está "passando da hora", como se diz muito por aí.
Mas vamos falar sobre o que acontece com o corpo da mulher na reta final da gravidez.
Um dos sinais visivelmente perceptíveis de que o corpo da mulher está se preparando para que ela entre em trabalho de parto é a barriga ficar mais baixa, surge um espaço entre o seio e a barriga, o umbigo aponta pra baixo.
No final da gravidez, a fase de fazer xixi toda hora também retorna, porque a bexiga diminui de tamanho para que o utero possa aumentar e dar mais espaço para o bebê, que a essa altura já estará bem gordinho. O lado bom é que fica mais fácil respirar, porque o bebê está mais longe das costelas. Em algumas gestações, o bebê encaixa na pelve materna antes do trabalho de parto.
Algumas mulheres sentem contrações de treinamento, indolores, desde o quinto mês de gestação. As contrações uterinas são percebidas quando a mulher está deitada ou sentada e sua barriga fica bem dura durante alguns segundos e depois amolece novamente. Porém, algumas mulheres relatam sentirem a barriga dura o dia todo, mas o que acontece é que, quando a mulher está em pé, a musculatura abdominal também se contrai para sustentar melhor o peso do bebê sem que isso seja uma contração uterina. Na reta final, essas contrações de treinamento passam a ser classificadas como prodromos, o famoso "falso trabalho de parto", porque elas se tornam frequentes, chegam a durar uma hora e, às vezes, vêm acompanhadas de cólicas. Nesse caso, sugerimos à gestante que descanse, deite-se ou tome um banho quente. Caso elas permaneçam após uma hora de repouso, começamos a interpretar como um sinal de que o trabalho de parto está começando.
Surgem diversos incômodos e cada gestante tem uma maneira diferente de interpretá-los. Algumas relatam peso no pé da barriga, pontadas, falta de posição agradável para dormir e, é claro, ansiedade.
Todos esses sintomas são naturais, é preciso ficar atenta apenas aos movimentos do bebê, se são frequentes, porque isso indica boa vitalidade, sangramentos abundantes, contrações doloridas e perda de líquido, como quando a bolsa rompe integral ou parcialmente.
Infelizmente, não existe uma receita como as de bolo para indicar quando um trabalho de parto está efetivamente começando, existem apenas alguns sinais comuns como a perda do tampão mucoso (uma melequinha com uns raios de sangue rosinha), as contrações que não cessam, a ruptura da bolsa.
É interessante que a mulher use o tempo que resta de gravidez para fazer um exercício de reclusão, de introspecção, voltar-se a si mesma, entrar em contato com o próprio corpo e com o bebê. Algo semelhante ao que os demais mamíferos fazem e que, para o ser humano, ajuda a se livrar das ligações e mensagens desagradáveis do tipo "já nasceu?".
Outra coisa legal é relaxar, passear, depois que as coisinhas do bebês estiverem arrumadas, ter um tempo para caminhar, ir ao shopping, sair para tomar um sorvete, coisa que talvez demorem para acontecer novamente depois que o bebê nascer. Se manter ativa é importante, muitos relatos de parto começam com "Sai para comprar umas coisas e caminhei" ou "fiz faxina na casa toda", tudo isso estimula o trabalho de parto. Mas o trabalho de parto acontece entre as duas orelhas, por isso, é bom desencanar. É como tentar engravidar: quando a gente desencana a gravidez aparece!
E o trabalho de parto não avisa com antecedência, já aconteceu de doulandas minhas irem ao obstetra no dia do trabalho de parto, fazerem exame de toque e estarem com o colo completamente fechado. Assim como já aconteceu de gestantes passarem uma semana com 4cm de dilatação.
Se você tiver uma doula, pode incomodá-la bastante com falsos trabalhos de parto, angústias, desabafos. Estamos aqui pra isso também!

Retirado de: http://prisrezendedoula.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MundoBrasileiro