sexta-feira, 10 de agosto de 2012

AMAMENTAR É ÓTIMO, MAS ÀS VEZES NÃO É FÁCIL NÃO

Encontrei este texto muito informativo, que tenta explicar porque muitas mães tem dificuldades em amamentar no comecinho. Digo as gestantes que devem sempre ler e se informar também sobre a amamentação, e que se a dificuldade for grande que busquem um conselheiro em amamentação mais próximo delas. Em Gravataí atento as mães que tem esta dificuldade (entre em contato aqui), além de orientar minhas doulandas. Em Porto Alegre indico a Mamãe e Bebê com a consultora Rosane Baldissera. Não deixem de pedir ajuda de um profissional antes de desistirem, ou seguirem conselhos errôneos de familiares! Lembrem-se, cada bebê é diferente, existem bebês que vão querer mamar a cada hora, ou a cada 3 horas, é importante que se verifique se não há algo incomodando o bebê antes de dar-lhe o peito!
Segue o texto...
Sofia mamando- 4 meses

 "Estamos na Semana Mundial de Amamentação. Isto mostra que a amamentação
é um tema tão importante que a ele é dedicado não apenas um dia, mas toda uma
semana. As campanhas na mídia nos mostram que amamentar é excelente para a saúde
do bebê, além de ser bom para o bolso dos pais por não custar nada. É também bom
para a saúde da mãe pois previne contra doenças como o câncer, ajuda a perder excesso
de peso.

 Porque então tantas mulheres não conseguem amamentar, mesmo sabendo das
vantagens da amamentação? A resposta é complexa, cada caso é único, mas vamos
tentar pensar algumas pistas e para entender a questão precisamos saber que a
amamentação depende de dois hormônios: a prolactina e a ocitocina. O organismo
materno fabrica prolactina pela estimulação da mama na sucção do bebê ou na retirada
com bomba ou ordenha manual.  Assim, quanto mais o bebê mama ou quanto mais é
retirado o leite, mais é fabricado.  A ocitocina é fabricada pela hipófise, uma glândula
localizada no cérebro e que funciona tanto melhor quanto mais tranquila e confiante se
encontra a mulher. Se não há uma boa produção destes dois hormônios, a amamentação
não funciona.

 Colocar o bebê para sugar já tem sua ciência e é nisso que a amamentação às
vezes enrasca: se o bebê não pega a mama da forma correta, facilmente o bico do peito
vai ter fissuras (rachaduras) que são dolorosas e fazem a mãe desistir.  E qual a forma 
correta do bebê abocanhar a mama? Ele deve ser segurado de frente para a mamãe,
barriga do bebê encostada na barriga da mamãe e deve abocanhar quase toda a aréola,
isto é, a parte mais escura da mama.  Se ele faz isto, o bico do peito fica no céu da boca
do bebê, seus lábios ficam virados para fora e ele  fica com o narizinho e o queijo
encostados na mama. A mãe não deve pensar que ele não está respirando: se ele está
sugando é porque está respirando, em geral pela outra narina que a mãe não está vendo.
Se o bebê não estivesse respirando não sugaria e tiraria a boca do peito a toda hora.
Portanto, a mãe não deve ficar com o dedo indicador puxando a mama no sentido
contrário pois se fizer isto desencaixa a pega correta, tira o bico do peito do céu da boca
do bebê  e  ele  começa a morder o bico, o que fará a tal rachadura dolorosa. Se a pega
está correta, o peito não dói.  Se está doendo é porque o bebê não está pegando de forma
correta.

 Bem, a pega correta é importante, mas, às vezes o bebê está pegando de forma
correta e o leite não está saindo porque não está havendo produção de ocitocina que
depende da calma, da tranqüilidade, do desejo de amamentar, da confiança de que é
capaz de fazê-lo. E aí é que está a dificuldade! Onde está a calma no pós-parto? Pós parto é um   período difícil:diferentemente da gravidez, tempo em que as mudanças são
lentas, as do pós-parto são bruscas. A barriga esvazia-se, não voltando, contudo, ao que
era antes da gravidez e sim ficando ainda aumentada e flácida. Pode haver uma cicatriz
de um parto cirúrgico ou de um parto vaginal com corte ou laceração do períneo. Há
grandes mudanças hormonais. A mulher está perdendo, pela vagina, os lóquios, uma
secreção sanguinolenta, parecida com a menstruação. O sono está interrompido pela
amamentação, e há o cansaço natural das tarefas dos cuidados com o bebê e a casa.
Pode haver excesso de visitas que cansam a mulher. Portanto, procure estabelecer com
os amigos e parentes horários para visitas e escolha horários nos quais o pai do bebê
possa estar para atender às visitas, se você  precisar atender ao bebê. Procure ter com
você alguém que lhe ajude nos serviços domésticos como lavar, passar, cozinhar para
que você possa estar  mais descansada para o bebê. Escolha, se possível, alguém com
quem você tenha um bom relacionamento e que respeite seu jeito de fazer as coisas,
principalmente seu jeito de cuidar de seu bebê e que a incentive e não critique. 

 E principalmente, a mãe ainda não aprendeu a compreender os diferentes choros
do bebê e acha que sempre que ele chora é porque está com fome. E pensar isto tira sua
segurança na sua capacidade de amamentar.

Quando o profissional de saúde diz a você que o bebê deve ser amamentado em
livre demanda você pode perguntar “O que é livre demanda?” Muitas vezes o
profissional responde: sempre que o bebê tiver fome ou sempre que o bebê quiser. E
você daí deduz que é sempre que o bebê chorar. Ou talvez até o profissional tenha dito
que você deve amamentar sempre que o bebê chorar. Na realidade, livre demanda
significa não ter horários rígidos para mamada, mas não significa dar o peito a cada vez
que o bebê chorar.

 Queridas mamães: o bebê chora por diversas razões  que não são fome. A
digestão do leite materno se faz mais ou menos em duas horas. Por isso, se  faz menos de
duas horas que ele acabou de mamar, você tem que verificar outras  razões para o choro
antes de dar de novo o peito. 

   Comece pelas razões mais simples de verificar
1 - calor: o bebê fica suado no rosto, no pescoço e fica vermelhinho e até um pouco
quente, parecendo que tem um pouco de febre. Neste caso, coloque uma roupinha mais
leve, ou dê-lhe um banho morno. 
2 - frio: suas mãozinhas, pés e nariz ficam frios. Agasalhe-o. 
3 - cólica: ele chora um choro que começa e para um pouco e logo recomeça, e, em
geral encolhe e estica as pernas e empina a barriga. Para cólica o melhor é calor local,
seja pelo contato barriga a barriga, seja colocando uma fraldinha morna sobre a barriga
do bebê. Também é muito bom fazer massagens no sentido dos ponteiros do relógio na
barriga do bebê.
4 - fraldas sujas: troque a fralda. 
5 – vontade de ser embalado: não se espante e não pense que se você embalar o bebê ele
vai ficar manhoso. Até os dois ou três meses o bebê precisa que você o embale,
suavemente pois durante nove meses ele esteve em meio líquido, em seu útero e era
constantemente embalado, mesmo quando você estava imóvel, só o seu respirar já fazia
o diafragma empurrar o útero e embalar o bebê. Depois dos três meses, você deve ir
parando de embalá-lo no colo e começar a estimulá-lo a rolar em uma superfície
forrada, pode ser o chão forrado com um edredon. 
6 – dor de ouvido: o bebê muitas vezes leva a mão ao ouvido. Se você suspeitar de dor
de ouvido, leve-o ao pediatra, não procure tratar com receitas caseiras.
7 – verifique se não tem nada na roupa incomodando  o bebê. Retire as etiquetas da
roupa pois costumam arranhar a pele do bebê.  
8 – se o bebê estiver dormindo e começar a resmungar, não o pegue logo para dar de
mamar: às vezes quando passa de uma fase para outra do sono, o bebê choraminga  e
depois cala-se e volta a dormir. Espere para ver se ele vai realmente acordar e chorar de
fome.
 Se você verificou todas as causas e não encontrou nenhuma dessas e já fazem
cerca de duas horas que ele acabou de mamar, pode oferecer-lhe o peito.  
Queridas mamães: amamentar não é fácil, precisa de ajuda e apoio. Assim, se apesar das
dicas você estiver tendo dificuldades na amamentação, procure auxílio. Pode nos
telefonar: 21-22656344 (Vitória) ou 21-22370309 (Aline). Alguns Postos de Saúde e
algumas maternidades do SUS têm grupos de apoio à amamentação. No Rio de Janeiro 
o Instituto Fernandes Figueira tem excelente atendimento inclusive sábados e domingos.
O endereço é Av. Rui Barbosa, 16.  e o telefone é 21-25541700. Há um excelente site
de amamentação: www.aleitamento.com Existe também o grupo de auto ajuda Amigas
do Peito e você pode encontrar onde funciona o grupo mais perto de você consultando o
 E tem também o Disque Amamentação: 21-22857779

 Se apesar de todas as ajudas você não conseguiu amamentar o tempo que
queria, não se sinta culpada: você tentou. Se for dar a mamadeira ou leite no copinho,
sempre que puder seja você mesma a dá-lo e faça-o com o bebê aconchegado a você 
para que ele sinta seu carinho e amor que são a coisa mais importante para ele se
desenvolver bem, saudável e feliz. " 


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MundoBrasileiro