terça-feira, 17 de março de 2015

Introdução alimentar e sua importância: 14 dicas pra ela ser realizada de forma correta

Queridos leitores! 

Como já expliquei ali no ladinho direito, este blog trás texto de minha autoria, mas também textos interessantíssimos de outros profissionais na área da saúde da mulher, amamentação e alimentação infantil.
Hoje o texto é da Paola, do Blog Maternidade Colorida! Orientações simples para as mães começarem a introduzir alimentos, aos poucos, para seus bebês! Espero que gostem!

Imagem Shutterstock
Imagem Shutterstock
Seu bebê completou 6 meses e chegou a hora tão esperada: a introdução alimentar! Muito além de fazê-los aceitar os novos sabores, ela é responsável por outros desenvolvimentos e estímulos nos pequenos, por isso, é importante investir corretamente nesta fase. No post de hoje, o assunto é: Introdução alimentar e sua importância e trago 14 dicas pra ela ser realizada de forma correta!
A cada 8 de 10 mães que atendo, as dúvidas são praticamente as mesmas: como oferecer, o que oferecer, quando oferecer e a maior de todas – quanto meu filho tem que comer!
Muitas mães se sentem se frustam, pois tem a errada ideia de que com 6 meses e 10 dias seu bebê irá comer tudo e de tudo, mas calma, quem te orientou?
Se o correto é oferecer no mínimo 4 vezes o mesmo alimento para o bebê, ficar 1 semana só com as frutas, na segunda semana ser fruta e papa principal 1X ao dia, depois 1 semana com 2 X fruta/dia e a papa principal pra só depois oferecer 2X fruta e 2X papa principal, como o bebê em 10 dias estará comendo tudo?
Minhas queridas, como sempre falo: paciência, amor, calma, foco e mais paciência com amor! Não é de um dia pro outro que o bebê vai aceitar tudo o que você oferece para ele.
Quando temos calma, confiamos nas orientações que recebemos, respeitamos as fases, momentos de nossos bebês, tudo caminha para o sucesso!
A introdução alimentar tem 6 meses pra acontecer, ou seja, dos 6 meses até completar 1 ano, é a fase de introdução alimentar e nela, é preciso oferecer pouco a pouco os novos sabores e novas consistências, pra daí a criança estar pronta pra comer a “comida da família”.
Não é correto a criança completar 1 ano e só comer sopa, purê ou algo do tipo. Não, não é correto e isso atrapalha o desenvolvimento buco-maxilar, a fala e o interesse pela comida!
É importante de uma vez por todas entendermos que alimentar não é só promover o ganho de peso nos bebês, alimentar é nutrir, é oferecer variedade no cardápio, é ter paciência, respirar fundo e tentar mais uma vez!
Quando a introdução alimentar acontece de forma calma, tranquila, com amor e sem a ansiedade materna ou dos familiares em ver o prato limpo ao fim da refeição, os bebês sentem-se tranquilos e confiantes em provar, experimentar o novo!
Imagem Shutterstock
Imagem Shutterstock
Mas como deve ser a introdução alimentar?
  1. Tenha paciência e entenda/aceite o tempo de seu bebê
  2. Organize-se e elabore um cardápio variado e com oferta correta de nutrientes
  3. Desprenda-se da quantidade que ele come
  4. Preocupe-se com a qualidade do que ele come
  5. Deixe-o pegar os alimentos, invista no método BLW, nem que seja pra “mesclar” com o método “tradicional”
  6. Nunca penere, bata, centrifugue, liquidifique a papa principal de seu bebê
  7. Ofereça desde sempre amassado no garfo e mês a mês evolua a consistência da papa
  8. Não ofereça sucos ou água de coco. Fique só no leite materno ou fórmula e água para já criar o hábito
  9. Não ofereça bolachas, biscoitos, pães. Até 1 ano, a alimentação do bebê é só com frutas, verduras, legumes, cereais naturais, carnes, ovo … ou seja, tudo que é natural!
  10. Faça papas saborosas! Tempere com itens naturais e faça a comidinhas dos pequenos com sabor!
  11. Combine os sabores de forma que fique agradável, mescle sabor mais amargo com os mais neutros, por exemplo.
  12. Monte uma rotina alimentar e crie o ambiente correto: lugar de comer é lugar de comer, lugar de brincar é lugar de brincar! Não use nunca o tablet ou televisão pra fazer seu bebê comer!
  13. Bebê com sono, irritado, chorando não vai comer, ou seja, entenda a melhor hora de oferecer a alimentação.
  14. Está difícil? Ele não come? Ele fecha a boca? Faz muita sujeira? Respira, conta até 10, dê colo, amor, carinho, busque sua paciência e tranquilidade aonde ela estiver, espere tudo se acalmar e tente de novo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MundoBrasileiro